Educação em Foco
 
 
Canto da raça única

Raça que se reconhece existe apenas uma:
seu nome é raça humana.
Sua face é índia, negra, branca
e seu tipo é multicor, é multicor...

Terra à vista!

A ordem era colonizar: era preciso ao nativo escravizar!
Índio recusou a escravidão
e o negro da África foi chamado à servidão...

Escravizado,
tentaram silenciar seu canto
tentaram calar seus tambores
tentaram desbotar suas cores...

Quiseram que fosse – o índio e o negro – raças inferiores...

Ouçam! Ouçam! Ouçam!

Ainda gritam os tambores nas noites das favelas...
A senzala subiu o morro e o negro grita bem alto:

Quero Educação! Quero moradia! Quero dignidade!
Quero ser respeitado na minha diversidade!

Ouçam! Ouçam! Ouçam!

Há um canto novo para reescrever a história,
sem vencidos ou vencedores;
um canto que quer, para o índio e para o negro,
o direito à diversidade e a garantia da igualdade...

Cantam juntos o professor e o estudante,
o inconformado de toda parte:
o que trabalha, o que luta, o que semeia no chão
o que vence a escuridão...

Terra nova à vista!

Terra para ser o chão da raça única que existe.
Terra onde se dêem as mãos
índios, negros, brancos...
Terra da inclusão!
Terra da qual é dona a tão diversa raça humana...




Autora: Maria Inês.

.....................................
 
diversidade.jpg
diversidade.jpg
 
APRESENTAÇÃO
Sou professor das redes Estadual e Muni
  Ler mais

Desinteresse afasta alunos.
Desinteresse afasta os jovens da escola
  Ler mais

Ensaio
Sobre o caso João Hélio

  Ler mais

Mulher, negra e pobre. Venci
Mulher, negra e pobre, venci na vida
  Ler mais